Arquivo da categoria: Astronomia

As cinco maiores contribuições de Carl Sagan para a Ciência e Tecnologia

Imagem: s/n

Imagem: s/n

Se você não conhece Carl Sagan, tem que conhecê-lo. Motivos? Elencamos aqui cinco das maiores contribuições de Sagan para a ciência.

  1.  Cosmos, uma viagem pessoal. Uma série que deveria ser de visualização compulsória para todo mundo. Com seu carisma inigualável fez com que muitos se apaixonassem pelo espantoso universo e que ademais entendessem que sim é possível explicar conceitos muito complexos de forma amena e nem por isso menos rigorosa. Esperamos ansiosos a estreia da sequência de Cosmos, que deve ser apresentada por Neil deGrasse Tyson, no início do próximo ano.

  2.  A exploração espacial, pois Sagan trabalhou em numerosas missões como Mariner 9, Viking 1, Viking 2, Pioneer 10 e 11, e as Voyager 1 e 2. Também foi o primeiro a sugerir que Vênus não tinha um clima tropical ameno semelhante ao da Terra, como a maioria dos cientistas acreditava, e, junto com seu antigo aluno James Pollack, sugeriu que as mudanças de cor que observávamos em Marte eram devidas as tempestades de poeira.
  3.  Sagan se posicionou firmemente contra pseudociências e imbecilidades tais quais astrologia e homeopatia. Na verdade, durante toda a vida ele foi um grande defensor do ceticismo e do uso do método científico, o que acabou irritando muitos “filósofos ocasionais” que o classificavam como cientificista.
  4.  O compromisso político à hora de ser um dos primeiros em crer no aquecimento global e em expressar estas ideias; também se opôs à Iniciativa Estratégica de Defesa, mais conhecida como a “guerra nas estrelas”, de Ronald Reagan.
  5.  Seus livros, que estendem a tarefa que fez com Cosmos; e não há que esquecer Contato.

Créditos ao LuisaoCS, do Negócio Digital.

Gosta do Carl Sagan? Esta é a Série Sagan – Completa e legendada

Reid Gower resolveu fazer um tributo à NASA e ao – grande! – divulgador científico Carl Sagan. O quê ele fez? Criou uma série realmente muito boa, denominada The Sagan Series, com vídeos de mais ou menos seis minutos cada um. E você pode conferir completa e legendada (em um único vídeo) aqui:

Como bonustrack, Sagan falando sobre o progresso tecnológico em nosso planeta:

E sua última entrevista antes de falecer:

Pálido ponto azul em nova versão

Você provavelmente se lembra do trecho de Cosmos onde Carl Sagan nos coloca a par de quão pequenos somos no Universo, certo? Caso não lembre ou não tenha assistido, pode clicar aqui (está legendado).

Não é novidade que a famosa fotografia de “um ponto pálido azul”, feita pela sonda Voyager 1 a seis mil milhões de quilômetros da Terra e que inspirou Carl Sagan em um comovente texto segue emocionando como há 25 anos.

Agora uma nova e espetacular versão realizada pelo biotecnólogo e divulgador científico Hashem Al-ghaili, que mantém a voz original do próprio Carl Sagan como narrador, junto à de Charles Chaplin e Malcon X. Um vídeo espetacular.

O texto original foi escrito em 11 de maio de 1996, pelo próprio Sagan.

Post scriptum 16/jun: Você também estava esperando ansioso pela tradução deste trecho? Pois aqui está: trecho “pálido ponto azul”, encerrando a primeira temporada do remake de Cosmos (com o badass Neil Tyson).

 

Um novo Cosmos

554566_567146553324080_381695942_n

Cosmos foi uma série de TV realizada por Carl Sagan e sua esposa Ann Druyan, produzida pela KCET e Carl Sagan Productions, em associação com a BBC e a Polytel International, veiculada na PBS em 1980. A série Cosmos é um dos mais formidáveis exemplos da amplitude e eficácia que a divulgação científica pode atingir por meios audiovisuais, quando servida por uma personalidade carismática como Carl Sagan e por meios técnicos adequados.

Assisti pela primeira vez aos 11 ou 12 anos, e transformou-se em uma paixão. Sagan é didático e direto, dando exemplos sensacionalmente simples. De lá pra cá, assisti várias vezes todos os episódios e recomendo sempre que posso.

Ano passado tive a feliz surpresa de saber que a Fox faria o remake da série, com ninguém menos que Neil deGrasse Tyson. É difícil escolher alguém para regravar uma série cujo idealizador e apresentador é simplesmente fascinante – mas a escolha foi excelente. A Ann Druyan já não me decepcionaria sozinha, quem dirá em parceria com o Neil… E está previsto para ser lançado em 2014.

A seguir, o trailer oficial, lançado na Comic Con – e com a voz do Sagan no começo. É de arrepiar!

[Atualizado em 31 de janeiro de 2014: Novo trailer!]

De Aristóteles a Stephen Hawking

Será que o Universo teve um começo? Aconteceu mesmo um Big Bang? O que é Espaço? Para onde nos leva a mecânica quântica? Caberá o Universo inteiro dentro de uma molécula da mente humana? O que é Deus? Poderá o homem participar da criação do mundo? Plantas e animais têm alma? Estas e outras tantas questões atuais têm sido na verdade, levantadas por estudiosos ao longo de toda a história da humanidade.
Esta coleção busca respostas na análise das teorias de filósofos clássicos, incluindo Pitágoras, Platão, Sócrates, Anaxágoras, Aristóteles e Plotino, sobre o “início do mundo”. Além de astrofísica, matemática e teologia, tanto da Grécia quanto de conceituadas universidade internacionais.

Uma lista de softwares pra você observar o céu

stellarium-12Imagem: Stellarium

Você gosta de observar o céu? Uma lista de softwares pra você:

Stellarium – é um planetário de código aberto que exibe um céu tridimensional bastante real.

Celestia – explora o Universo em três dimensões, passeando por planetas, constelações e conhecendo o lado oculto da Lua.

Gnome Predict – fornece a posição exata de todos os satélites em órbita.

Voyager – mostra imagens dos objetos mais importantes (planetas, aglomerados estelares, galáxias, nebulosas e etc.) e suas coordenadas.

Pocket Stars – gera mapas do céu que mostram as principias estrelas, posição dos principais aglomerados estelares, nebulosas, galáxias, etc.

NASA World Wind – se conecta ao banco de dados da NASA, carregando imagens captadas por seis satélites ao redor do mundo.

Microsoft Worldwide Telescope – o programa utiliza um ambiente Web 2.0 para transformar seu computador em um telescópio virtual.

KStars – era mapas do céu com as posições das estrelas, planetas, nebulosas, aglomerados abertos e globulares e outros objetos importantes.

Não indico: Sky Char e Equinox.

Até mais e obrigado pelos peixes!

16 astrônomos que você deveria conhecer melhor

orion_nebulosaImagem: nebulosa “olho de gato”

Diretamente da SuperInteressante
Por Cláudia Fusco

“Somos todos feitos do mesmo pó de estrelas.”
Carl Sagan - Cosmos.

Nicolau Copérnico: 1473-1543
O astrônomo polonês foi o primeiro a contrariar os estudos gregos, que diziam que os planetas orbitavam ao redor da Terra. Copérnico bateu o pé e garantiu que os planetas giravam em torno do Sol – e sua teoria, ainda que pouco aceita na época, foi responsável por grandes mudanças no estudo da astronomia.

Tycho Brahe: 1546-1601
Menos célebre que seu precursor, Johannes Kepler, Brahe foi um dos primeiros a descobrir a existência de supernovas – uma delas, inclusive, leva seu nome – e iniciou diversos estudos que levariam Kepler às suas teorias. Suas convicções sobre política e astronomia o levaram a sair de seu país, a Dinamarca, e construir um observatório em Praga.

Galileu Galilei: 1564 – 1642
Se Copérnico era o pai da astronomia, Galilei pode ser chamado de pai da ciência moderna. Sua defesa ao sistema heliocêntrico, mencionado por Copérnico, o levou até os tribunais da Inquisição. Foi considerado herege por defender a ideia de que a Terra girava em torno do Sol. Galileu também contribuiu para a descoberta da inércia e desenvolveu instrumentos-chave para o estudo da astronomia.

Johannes Kepler: 1571-1630
Talvez você se lembre deste nome tão comum nas aulas de Física. Kepler desenvolveu as três leis do movimento planetário, célebres até hoje. Suas teorias auxiliariam Isaac Newton em suas descobertas sobre a gravidade. Foi professor de matemática por grande parte de sua vida, e também trabalhou com Tycho Brahe como assistente de astronomia.

Isaac Newton: 1643-1727
Fundador da lei da gravitação universal e das Três Leis de Newton, o cientista inglês foi condecorado pela rainha Anne, sendo o primeiro cientista da história a receber o título de Sir. Foi professor em Cambridge, embora tivesse a intenção de se formar como advogado, mas se apaixonou pelas teorias de Galileu durante seus estudos. Quando se aposentou, alegando crises de saúde, foi eleito presidente da Royal Society, cadeira que ocupou até o ano de sua morte.

Edmund Halley: 1656-1742
Sim, é isso que você está pensando: este astrônomo se tornou célebre por conta da descoberta do cometa que ganhou seu nome, em 1696. Halley foi o primeiro astrônomo a pensar que cometas eram objetos que cruzavam o espaço de forma periódica e possível de calcular. Seus estudos sobre a distância entre a Terra e o Sol também ajudaram a aumentar sua notoriedade.

Charles Messier: 1730-1817
Este discípulo de Newton e Halley é conhecido por ter publicado um famoso catálogo sobre objetos do espaço profundo, como nebulosas, galáxias e aglomerados de estrelas. O astrônomo francês também descobriu 19 novos cometas – sendo único autor de 13 dessas descobertas – e recebeu, do próprio Napoleão Bonaparte, um título da Ordem Nacional da Legião de Honra. Em resposta, Messier homenageou ao imperador da França a descoberta de um grande cometa em 1769.

Caroline Herschel: 1750-1848
Irmã do astrônomo William Herschel, a astrônoma inglesa realizou diversos trabalhos em parceria com seu irmão. É considerada a primeira mulher a descobrir um cometa, e durante sua carreira encontrou diversos desses objetos espaciais. Recebeu uma medalha de ouro da Royal Astronomic Society e ocupou uma cadeira como membro honorário da sociedade, algo inédito para mulheres até então.

George E. Hale: 1868-1938
Fundador de três importantes observatórios, Hale é considerado o primeiro astrofísico da história. Formado pelo MIT, em Harvard, passou grande parte da vida como professor, montando um laboratório sobre estudos do Sol em Pasadena, na Califórnia. Hale precisou ser afastado de seu cargo de diretor de um de seus observatórios, por ter alucinações no fim de sua vida.

Karl Schwarzchild: 1873-1916
Este astrônomo alemão é reconhecido por dois grandes serviços que prestou à ciência; além de ter esmiuçado a Teoria da Relatividade Geral de Einstein, também foi o primeiro astrônomo a estudar e publicar artigos sobre a existência de buracos negros no espaço

Edwin Hubble: 1889-1953
O astrônomo que dá nome ao telescópio mais famoso do mundo foi um grande pesquisador da distância entre objetos espaciais. Foi Hubble quem descobriu a medida entre a Terra e a nebulosa de Andrômeda e publicou importantes projetos sobre a relação entre a distância entre galáxias e seus tamanhos.

Clyde Tombaugh: 1906-1997
Foi ele quem descobriu Plutão e o qualificou como planeta. Também fez grandes pesquisas sobre U.F.Os e centenas de asteroides, sendo que um deles foi homenageado em seu nome enquanto ainda estava vivo.

Vera Rubin: 1928-
A segunda mulher a receber um título honorário na Royal Academy, Rubin envolveu-se por toda a vida em pesquisas sobre matéria escura. Sua conclusão – aceita até hoje e considerada definitiva por muitos pesquisadores – é a de que 90% do universo é composto de matéria escura.

Carl Sagan: 1934-1996
Grande entusiasta da pesquisa por vida extraterrestre, Sagan dedicou anos da sua vida a pesquisas sobre Marte e outros planetas da Via Láctea. Foi idealizador de projetos que envolviam o envio de sondas espaciais com mensagens sobre a vida na Terra. Tem mais de 600 livros publicados e grande envolvimento com a ficção científica. Sua obra mais famosa, Cosmos, também virou uma série de TV, e foi ganhador do prêmio Pulitzer com o livro de não-ficção Os Dragões do Éden.

Stephen Hawking: 1942-
Além de renomado escritor de livros, Hawking é um dos mais respeitados cientistas da atualidade. Suas descobertas nos campos de cosmologia teórica e gravidade quântica o levaram ao cargo emérito de professor lucasiano na Universidade de Cambridge, cargo que foi ocupado pela última vez por Isaac Newton. Hawking sofre de esclerose lateral amiotrófica, uma rara doença que paralisa o corpo, mas não causa efeitos cerebrais. Em uma interessante coincidência, o nascimento de Hawking se deu no mesmo dia em que eram celebrados os 300 anos de morte de Galileu.

Neil deGrasse Tyson: 1958-
Neil deGrasse é astrofísico, diretor do Planetário Hayden e responsável pelo departamento de astrofísica do Museu de História Natural dos Estados Unidos Também foi apresentador de um programa de TV sobre ciência popular e é mundialmente famoso por ter escrito uma carta a James Cameron, diretor de Titanic, dizendo que o posicionamento das estrelas estava errado, de acordo com o dia do naufrágio do navio mais famoso do mundo. Atualmente, deGrasse também ficou famoso por dar o ar da graça na série The Big Bang Theory.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.867 outros seguidores