Repórter infiltrado mostra condições de trabalho na fábrica do iPhone 5

Uma agência de notícias chinesa, o Shanghai Evening Post, conseguiu retratar uma realidade muito pouco conhecida pela população mundial. No início do mês de setembro, o veículo infiltrou um de seus jornalistas na fábrica da Foxconn em Taiyuan, na China, onde é produzido o novo iPhone 5, lançado no último dia 12.

O jornalista se passou por um funcionário novato durante dez dias, reunindo informações e imagens sobre o trabalho da fábrica, o processo de produção e a rotina intensa e desumana imposta aos profissionais. A empresa realiza a montagem de outros aparelhos eletrônicos como o iPad e o Xbox 360 e é conhecida pelas péssimas condições de trabalho que oferece aos seus empregados.

Os funcionários trabalham sobre a pressão de cumprir uma meta de 57 milhões de iPhones fabricados ao ano, prazo este estipulado e fiscalizado com rigor pela Apple. Logo no primeiro dia, o jornalista passou por um rápido processo de seleção, pouco depois de responder questões sobre suas faculdades mentais. Em seguida foi levado à fabrica, onde teve início o período de treinamento.

Os alojamentos, por sua vez, chamaram ainda mais a atenção do repórter do que a rigidez na empresa. Todos eram sujos e apresentavam mau cheiro, além de não possuírem condições mínimas de conforto e estarem infestados de baratas.  Já no segundo dia de trabalho todos os novos funcionários foram obrigados a assinar contratos após se alimentarem num refeitório superlotado. Neles, haviam cláusulas a respeito do vazamento de informações adquiridas no local, sem ao menos citar assuntos como acidentes de trabalho e horas extras.

Ao longo dos outros dias de treinamento o repórter ressaltou a naturalidade com que os funcionários responsáveis pela supervisão do trabalho de produção tratavam mal os operários.

Segundo o jornalista, os instrutores afirmavam que o tratamento era adotado daquela forma para o bem de todos. O estresse era aliviado em uma área livre, reservada para os gritos guardados dos trabalhadores durante o período de trabalho, enquanto que tentativas de suicídios eram combatidas com a instalação de grades em todas as janelas da fábrica.

Após a fase de treinamento, os novos operários conheceram a linha de produção do novo iPhone. Para entrar no local, cuja segurança é máxima, todos são revistados e passam por detectores de metais, obrigando todos a retirar fivelas de cintos, correntes, brincos e aparelhos eletrônicos. Vale lembrar que cada operário ganha em média R$ 8 a cada duas horas, mesmo que sejam realizadas durante a madrugada.

O repórter retratou também passagens onde funcionários descarregaram a raiva esmurrando aparelhos ainda na esteira de montagem, enquanto seus supervisores não estavam por perto. Ainda segundo o jornalista, apenas dois dos 36 operários que iniciaram o processo de seleção permaneceram no trabalho. Após o 10º dia, ele não suportou o cansaço e o estresse e pediu demissão da empresa.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Repórter infiltrado mostra condições de trabalho na fábrica do iPhone 5

  1. Mariana Amoroso dezembro 6, 2012 às 9:29 am Reply

    o mundo precisa saber dessas coisas, assim as escolhas de consumo são mais conscientes!!!
    o que não quer dizer (infelizmente) que as pessoas deixarão de consumir esses produtos.

  2. norma7 dezembro 6, 2012 às 12:13 pm Reply

    ” a naturalidade com que os funcionários responsáveis pela supervisão do trabalho de produção tratavam mal os operários.

    Segundo o jornalista, os instrutores afirmavam que o tratamento era adotado daquela forma para o bem de todos. O estresse era aliviado em uma área livre, reservada para os gritos guardados dos trabalhadores durante o período de trabalho, enquanto que tentativas de suicídios eram combatidas com a instalação de grades em todas as janelas da fábrica.”

    +++++++
    Lisiane,

    Fico me perguntando quanto tempo dura o “barato”, proprorcionado pela adquisição da mais atualizada versão da “geringoça” favorita, por mais tecnologia de ponta que ela traga em seu bojo. 2 semanas, um mês, até o lançamento do novo modelo ou até o “outro” ter um igual? O suficiente para me deixar indiferente à degradação alheia, independente do grau de sofrimento do humano (Oi?) envolvido no processo?
    Consciência? Siga em frente, vire à esquerda, segunda porta no final do corredor, porém não garantimos estoque suficiente… Ah, Sim! Não há demanda….
    Grata pelos Krills – não posso chamar o acima de peixes (rs) e Boa Sorte!
    Norma

  3. marcos leandro dezembro 8, 2012 às 1:04 pm Reply

    Será que os jovens da foto sonham um dia ter um iphone?

  4. Lucas Henrique dezembro 27, 2012 às 1:54 am Reply

    Será que aquele filhinho de papai hipster que se acha superior aos outros por ter um aparelho desses sabe sobre isso?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: