Arquivo da categoria: Ciência

A teoria da Evolução explicada didaticamente através de… Emoticons!

Bill Nye, o Cara da Ciência, junta-se com Emoji para explicar a Evolução. O vídeo é muito didático e pode ser utilizado por professores.😉

Uma animação que deixa as ideias de Stephen Hawking mais fáceis de entender

Stephen Hawking: cosmólogo, físico teórico, e um cara inteligente. Mas boa parte de suas ideias não é fácil de se entender, especialmente para quem tem cérebros menos capazes.

Esta animação, feita pelo Guardian como parte da série “Made Simple”, explica as noções básicas de algumas das ideias de Hawking sobre buracos negros, singularidade, radiação Hawking e mais.

Comecemos pelo buraco negro, um objeto com gravidade tão forte que nada pode escapar dele, nem mesmo a luz. Se o buraco negro engole tudo o que vê pela frente, o que há no centro dele?

Hawking responde: lá dentro, você encontra a singularidade. O que é isso? Bem, como tanta matéria é espremida em tão pouco espaço, a força da gravidade se torna infinita. Por isso, tudo é esmagado em um ponto de densidade infinita. Esse ponto é a singularidade.

Já sabemos o que há dentro de um buraco negro. Agora vamos descobrir o que há em seu redor: o que acontece nas bordas de um buraco negro?

Para entender isso, é preciso entender que o vácuo não é vazio: segundo a teoria quântica, nele surgem pares de partícula e antipartícula que então desaparecem do nada.

Isso também acontece ao redor do buraco negro: surgem pares de matéria e antimatéria. Mas, como ele possui uma gravidade extremamente forte, ele puxa a antipartícula para dentro de si. Enquanto isso, as partículas conseguem escapar – e são chamadas de radiação Hawking.

As antipartículas que entram têm energia negativa, e por isso fazem o buraco negro perder massa. Por isso, aos poucos, ele encolhe e depois desaparece. Mas, em seus momentos finais, o buraco negro cria uma grande explosão – um “big bang” – com a energia de um milhão de bombas nucleares.

OK, mas como isso deixou Stephen Hawking tão famoso? Ora, ele mostrou que, em certo ponto, tudo em nosso universo estava espremido em uma singularidade. Ela explodiu no Big Bang, formando galáxias, estrelas, planetas e você.

Depois desse vídeo, você conseguiu ficar um pouco mais inteligente? [YouTube via Brain Pickings]

Como explicar as explicações?

O blog da ciência publicou esse vídeo fantástico e resolvi publicar aqui.

O físico David Deutsch conseguiu algo aparentemente impensável: explicar a explicação. Ele expõe suas ideias nesse vídeo de uma TED Talk realizada em Oxford, Inglaterra, em 2009. Muitas das ideias exibidas no vídeo deram origem ao seu livro “The Beginning of Infinity: Explanations That Transform the World”, que em uma tradução livre significa “O Início do Infinito: Explicações que Transformam o Mundo”, lançado neste ano.
Segundo Deutsch, uma teoria científica consiste em descrever o visível em termos não visíveis e que nada mais são do que suposições testadas através da observação. Deutsch também fala sobre a importância da Revolução Científica e do Iluminismo para o progresso e para o conhecimento.

Assista clicando aqui: https://embed-ssl.ted.com/talks/lang/pt-br/david_deutsch_a_new_way_to_explain_explanation.html

“Poeira das estrelas”: a série brasileira sobre ciência que você vai adorar

A cosmologia também teve vez no Fantástico.  A série Poeira das Estrelas estreou em agosto de 2006 e teve 12 episódios sobre cosmologia, nos quais o físico e astrônomo Marcelo Gleiser falava sobre a concepção moderna da origem do universo e o caminho percorrido pela ciência para responder a dúvidas ancestrais da humanidade.

Os episódios foram gravados em vários países. Na primeira parte da série, que tratou de temas como a interferência da religião na ciência e a teoria do Big Bang, Marcelo Gleiser visitou diversos lugares, entre os quais a Inglaterra, onde entrevistou o astrônomo real inglês no Trinity College, em Cambridge; a Itália, onde simulou um experimento realizado por Galileo Galilei na Torre de Pisa; a República Tcheca, onde falou da relação entre o matemático Kepler e o astrônomo Tycho Brahe; e os Estados Unidos, onde mostrou o telescópio de Mount Wilson, na Califórnia, no qual o astrônomo Edwin Hubble descobriu que o universo está em expansão.

A segunda parte da série abordou a origem da Terra e a possibilidade de vida extraterrestre. Para o episódio que explica a evolução geológica do planeta, Marcelo Gleiser e a equipe do Fantásticovisitaram o Grand Canyon e sobrevoaram de balão a cratera Barringer, no Arizona, conhecida por ser a maior cratera da Terra, provocada pela queda de um meteorito há 50 mil anos. A série também foi ao Havaí para mostrar o Kilauea, vulcão há mais tempo em atividade contínua no mundo.

As informações são do próprio site do Fantástico e você pode assistir a série toda na lista abaixo (do Youtube):

7 sinais de que algo é pseudociência

Imagem: gif feito com cena de "Cosmos", apresentado por Carl Sagan

Imagem: gif feito com cena de “Cosmos”, apresentado por Carl Sagan

Os pesquisadores Schmaltz e Lilienfeld, eleaboraram uma lista com 7 sinais claros de que algo é pseudocientífico:

  1. O uso de “psicologia barata” – palavras que soam científica e profissional, mas são usadas ​​de forma incorreta ou de uma forma enganosa.

  2. Uma dependência substancial de evidências anedóticas.

  3. Alegações extraordinárias, na ausência de provas extraordinárias.

  4. Alegações que não podem ser provadas falsas.

  5. Alegações que contrariam fatos científicos (bem) fundamentados.

  6. Ausência de revisão por pares adequada.

  7. Alegações que se repetem apesar de serem refutadas.

Vale conferir sempre!

PS: encontrei essa lista em um post no blog Universo Racionalista.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.374 outros seguidores