Arquivo da categoria: Dicas

Infográfico de (alguns) grandes nomes da ciência

Este infográfico mostra alguns dos grandes nomes da ciência em forma de um “metrô”: cada cor de linha representa uma área da ciência, cada ponto uma teoria e cada ponto múltiplo um autor polímata (dedicado a muitas áreas). Vale a pena conferir. 😀

Clique na imagem para visualizar em tamanho maior

Clique na imagem para visualizar em tamanho maior

Não se esqueça de clicar na imagem para visualizar em tamanho maior. 😉

A imagem está em espanhol, mas é de fácil compreensão.

Como saber qual a minha posição ideológica?

Imagem: Diagrama de Nolan

Imagem: Diagrama de Nolan

É comum que a gente se questione, diante da dicotomia esquerda x direita, em qual posição nós estamos. O discurso ideológico não é tão polarizado assim, e entre esquerda e direita existe muitas ideologias. Então aqui vai a dica: fazer o teste do Diagrama de Nolan.

O Diagrama de Nolan ou Gráfico de Nolan é um diagrama político criado pelo psicólogo Bob Altemeyer, sob influência das ideias do sociólogo Theodor Adorno e popularizado pelo libertário norte-americano David Nolan.

Ele o criou para ilustrar a alegação de que o libertarianismo defende tanto as liberdades econômicas quanto as liberdades individuais, num contraste visual tanto com a esquerda quanto com a direita. De acordo com Nolan, a esquerda defende apenas as liberdades individuais, enquanto a direita conservadora defende apenas as liberdades econômicas.

Diferentemente da separação tradicional esquerda/direita e outras taxonomias políticas, o Diagrama de Nolan na sua forma original tem duas dimensões, com um eixo X horizontal chamado de “liberdade econômica” e um eixo Y vertical chamado “liberdade individual”. Ele lembra um quadrado dividido em quatro quadrantes, com cada amostra da população atribuída a um dos quadrantes. Algumas versões apresentam um quinto quadrante central, em forma de losango, para indicar uma posição centrista.

O teste é fácil de fazer: basta você responder a algumas perguntas com sinceridade.

Clique aqui para fazer o teste em português (compacto) e clique aqui para fazer o teste em espanhol (original).

“Poeira das estrelas”: a série brasileira sobre ciência que você vai adorar

A cosmologia também teve vez no Fantástico.  A série Poeira das Estrelas estreou em agosto de 2006 e teve 12 episódios sobre cosmologia, nos quais o físico e astrônomo Marcelo Gleiser falava sobre a concepção moderna da origem do universo e o caminho percorrido pela ciência para responder a dúvidas ancestrais da humanidade.

Os episódios foram gravados em vários países. Na primeira parte da série, que tratou de temas como a interferência da religião na ciência e a teoria do Big Bang, Marcelo Gleiser visitou diversos lugares, entre os quais a Inglaterra, onde entrevistou o astrônomo real inglês no Trinity College, em Cambridge; a Itália, onde simulou um experimento realizado por Galileo Galilei na Torre de Pisa; a República Tcheca, onde falou da relação entre o matemático Kepler e o astrônomo Tycho Brahe; e os Estados Unidos, onde mostrou o telescópio de Mount Wilson, na Califórnia, no qual o astrônomo Edwin Hubble descobriu que o universo está em expansão.

A segunda parte da série abordou a origem da Terra e a possibilidade de vida extraterrestre. Para o episódio que explica a evolução geológica do planeta, Marcelo Gleiser e a equipe do Fantásticovisitaram o Grand Canyon e sobrevoaram de balão a cratera Barringer, no Arizona, conhecida por ser a maior cratera da Terra, provocada pela queda de um meteorito há 50 mil anos. A série também foi ao Havaí para mostrar o Kilauea, vulcão há mais tempo em atividade contínua no mundo.

As informações são do próprio site do Fantástico e você pode assistir a série toda na lista abaixo (do Youtube):

7 sinais de que algo é pseudociência

Imagem: gif feito com cena de "Cosmos", apresentado por Carl Sagan

Imagem: gif feito com cena de “Cosmos”, apresentado por Carl Sagan

Os pesquisadores Schmaltz e Lilienfeld, eleaboraram uma lista com 7 sinais claros de que algo é pseudocientífico:

  1. O uso de “psicologia barata” – palavras que soam científica e profissional, mas são usadas ​​de forma incorreta ou de uma forma enganosa.

  2. Uma dependência substancial de evidências anedóticas.

  3. Alegações extraordinárias, na ausência de provas extraordinárias.

  4. Alegações que não podem ser provadas falsas.

  5. Alegações que contrariam fatos científicos (bem) fundamentados.

  6. Ausência de revisão por pares adequada.

  7. Alegações que se repetem apesar de serem refutadas.

Vale conferir sempre!

PS: encontrei essa lista em um post no blog Universo Racionalista.

Bill Nye, o cara da ciência

Post original do Pensamentos Peculiares , por Jack Waters

Quem foi criança nos anos 90 deve se lembrar de um célebre programa educativo, chamado O mundo de Beakman, em que um cientista maluco, junto com seus auxiliares, explicava como funcionam vários fenômenos científicos e objetos do dia-a-dia de uma maneira simples e bem humorada. pois bem, o programa Bill Nye – the science guy também segue os mesmos moldes, porém mais focado na ciência em si. De maneira clara e divertida, ele apresenta conhecimentos científicos e gera debates em torno deles, instigando ao raciocínio crítico.

Segue vários vídeos legendados sobre “o cara da ciência”: