Arquivo da categoria: Poesias e poemas

Lisbon Revisited (trecho)

1391946_648407148537245_189535547_nImagem: Crawfurd Adamson

“[…] Queriam-me casado, fútil, quotidiano e tributável?
Queriam-me o contrário disto, o contrário de qualquer coisa?
Se eu fosse outra pessoa, fazia-lhes, a todos, a vontade.
Assim, como sou, tenham paciência!
Vão para o diabo sem mim,
Ou deixem-me ir sozinho para o diabo!
Para que havemos de ir juntos?

Não me peguem no braço!
Não gosto que me peguem no braço.”

Fernando Pessoa in ‘Lisbon Revisited

Anúncios

(A)mar

rebeldiaImagem: poema de Benedetti em ação poética urbana

“Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.”
Carlos Drummond de Andrade

Não te salves

rebeldiaImagem: Ação Poética Rivera

“Não te salves
Não fiques parado
a beira do caminho,
não congeles o júbilo,
não queiras sem vontade,
não te salves agora
nem nunca
Não te salves.

Não te enchas de calma,
não reserves do mundo,
apenas um rincão tranqüilo
não deixes cair as pálpebras
pesadas como juízos,
não fiques sem lábios,
não fiques sem sonhos,
não penses sem sangue,
não te julgues sem tempo.

Mas se
apesar de tudo,
não pode evitar;
e congelas o júbilo,
e queres sem vontade,
e te salvas agora,
e te enches de calma,
e reservas do mundo,
apenas um rincão tranqüilo,
e deixas cair as pálpebras
pesadas como juízos,
e te secas os lábios,
e dormes sem sonho,
e pensas sem sangue,
e te julgas sem tempo,
e ficas parado
à beira do caminho,
e te salvas;
então
não fiques comigo.”

Mário Benedetti

Intertexto

figura3lidianeImagem: Operários – Tarsila do Amaral

“Não me importo com os negros, não sou negro”, “não me importo com os gays, não sou gay”, “não me preocupo com os pobres, não sou pobre”. Bertolt Brecht bem lembra:

“Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde.
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo.”

Caminhos não há

noiteestreladaImagem: Noite estrelada – Van Gogh

“Caminhos não há,
Mas as gramas
os inventarão.

Aqui se inicia,
uma viagem clara
para a encantação.

Fonte, flor em fogo,
o que nos espera
por detraz da noite?

Nada vos sovino:
com a minha
incerteza,
vos ilumino.”

Ferreira Gullar